Aller à la page d'accueil. | Aller au contenu. | Aller à la navigation |

 
 
Acções do Documento

Nada neste mundo é indiferente para nós

21 agosto 2016

 

 

 

 

 

 

Dois documentos recentes do Papa Francisco, "Laudato Si" e a Exortação Apostólica, "a alegria do amor" chamaram minha atenção. Aqui está o porquê. Cada um começa com um capítulo descrevendo a sociedade atual, o mundo em que vivemos antes de nos convidar para encontrar nosso lugar. Este é o primeiro capítulo de Laudato Si, intitulado "O que está acontecendo em nossa casa" e o segundo capítulo "a alegria do amor" intitulado "A Realidade e os desafios da família." É interessante ler esses capítulos na íntegra. Eis aqui alguns elementos, tirados de "Laudato Si" que nos pode ajudar a refletir.

1. Para começar, o Papa Francisco observou a aceleração contínua de mudanças na humanidade e no planeta, em contraste com a lentidão natural da evolução biológica. Ele ressaltou que a mudança é desejável, mas é preocupante se vier a deteriorar o mundo e a qualidade de vida de uma grande parte da humanidade.
E para citar: poluição, lixo e cultura de resíduos (No. 20). "A Terra, nossa casa comum, parece se transformar em um enorme depósito de lixo". O que podemos fazer? Um exemplo: a maior parte do papel que é produzido é desperdiçado e não é reciclado.
Um remédio: Procuremos minimizar o máximo o uso de recursos não renováveis, para moderar o consumo e reutilizar ou reciclar.

2. A mudança climática é um problema global com graves repercussões ambientais, sociais, econômicas e políticas. (No. 25) devemos mudar o estilo de vida, de produção e consumo para combater as ações humanas que provocam a mudança climática. Os pobres são os primeiros a sentir. Seus meios de subsistência dependem fortemente das reservas naturais.
Um exemplo: As mudanças climáticas provocam migrações de animais e de plantas. Isto provoca o aumento do número de migrantes que fogem da miséria.
E não tendo em conta estes migrantes.
Um remédio: o desenvolvimento de fontes de energia renováveis através de tecnologias apropriadas.

3. A questão da água. Nós estamos esgotando os recursos naturais de água. Há regiões que há água em abundância e gastam e outras que sofrem com grave penúria de doenças relacionadas com a água imprópria para consumo, tais como diarréia e cólera.
As águas subterrâneas são ameaçadas pela poluição das fábricas, mas também pela utilização de detergentes e produtos químicos utilizados pela população. As águas continuam a fluir para os rios, lagos e mares.
A escassez de água provoca entre outros, o aumento do custo dos alimentos.

3. O Papa menciona também a perda da biodiversidade. Todos os anos desaparecem milhares de espécies de plantas e animais, por razões que têm em conta a ação humana: fungos, algas, vermes, insetos, répteis... No entanto, algumas espécies contribuem para o equilíbrio de um lugar.
Exemplos: Quando as florestas da Amazônia são queimadas e arrasadas para desenvolver as culturas, inúmeras espécies desaparecem e a terra se torna um deserto.
Uma extração desordenada de recursos de pesca provoca o declínio de algumas espécies (N.º 40). A exploração desordenada dos recursos naturais finalmente chegou “, mesmo no fundo dos oceanos."

5. Tudo isto leva à deterioração da qualidade da vida humana e a degradação social. O crescimento excessivo das cidades faz com que elas se tornem insalubres não só por causa da poluição do transporte ou a falta de espaços verdes, mas também devido à invasão de cimento, de asfalto, vidros e metais. (N ° 44).
Isso gera a exclusão social, o aumento da violência, o consumo crescente de drogas... O desenvolvimento de meios de comunicação não promove o desenvolvimento das relações humanas. Isso às vezes impede o contato com a angústia, ansiedade, alegria do outro ou a complexidade da sua experiência pessoal.


Então, basta olhar para a realidade com sinceridade para encontrar uma deterioração da nossa casa comum. Não pára por aí, a esperança nos convida a reconhecer que há sempre uma saída. Com São Francisco, em seu Cântico das Criaturas, façamos com que toda a criação ainda possa cantar a glória de Deus por sua existência.


Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas, especialmente meu senhor o irmão sol que, com luz, ilumina o dia e a nós.
E ele é belo e radiante com grande esplendor: de ti, Altíssimo, carrega significação.


Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã luz e as estrelas, no céu as formaste claras e preciosas e belas.


Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão vento e pelo ar e nublado e sereno e todo o tempo pelo qual dás sustento às tuas criaturas.


Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã água que é muito útil e humilde e preciosa e casta.


Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão fogo pelo qual iluminas a noite e ele é belo e jucundo e robusto e forte.
Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã nossa mãe terra que nos sustenta e governa e produz diversos frutos com coloridas flores e ervas.


Louvado sejas, meu Senhor, por aqueles que perdoam por teu amor e suportam enfermidades e tribulações.
Bem-aventurados aqueles que sustentam a paz porque por ti, Altíssimo, serão coroados.


Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã nossa morte corporal da qual nenhum homem vivente pode escapar.


Irmã Marie-Thérèse Libessart

<< Voltar à lista